Copyright © Palavra-poeta
Design by Dzignine
13 de setembro de 2012

O Panteão dos Deuses Gregos e suas sacanagens - Parte II

Continuando com a postagens dos Deuses Sacanas, hoje vou falar sobre um Deus meio "nefasto", além de sacana. Ele era responsável pelo Reino Subterrâneo, e nesse Reino Subterrâneo ficava o Tártaro, uma espécie de Inferno dos gregos. É, acho que já deu pra perceber que a gente tá falando do Hades, ou o Plutão, dos romanos.

Ah, quero falar uma coisa que acho que não deixei muito claro no outro artigo. Apesar dos gregos e dos romanos terem praticamente a mesma religião, os mesmos deuses (com nomes alterados) a forma de cada um encarar o Deus não era a mesma. Ares, por exemplo, não era um Deus muito cultuado na Grécia, que era uma sociedade mais intelectual, democrática. Roma era um império conhecido pelos seus soldados e suas fardas, as guerras. Quer coisa mais 'ariana'? Ares, em Roma, era um Deus bastante cultuado.

Mas, voltando à Hades... Ele era a, digamos, ovelha negra da família. Não era muito querido no Olimpo e mesmo os humanos tinham mais temor do que admiração propriamente dita (como com Ares). Assim como seu irmão Zeus ele era bem estressadinho (mas não era tão "Don Juan"). Sua esposa, Perséfone, foi, digamos, raptada por ele. A história foi mais ou menos assim. A bela e virgem Perséfone tava lá no campo, colhendo trigos (ela era filha de Deméter, a deusa da Terra, das plantações) e Hades, passeando pelo local, a vê e se apaixona. Ele então a rapta e a leva para o seu submundo. Correm boatos de que ele a estuprou... Eu não sei de nada. Hades, em sua forma romana, Plutão, deu nome ao planeta que não é mais planeta, mas que continua ser considerado como o planeta regente de Escorpião. E, um signo regido por um planeta com o nome do Deus da Morte e do Reino Subterrâneo, um Estuprador, não poderia ter uma fama muito boa. Mas Plutão não é tão nefasto assim. Pode ser meio bruto e esquentadinho, mas não era infiel como seu irmão Zeus (Júpiter). Nascer no signo de Escorpião não quer dizer, necessariamente, que você vai ser um estuprador de virgens indefesas. Escorpião é o psicólogo, a pessoa que quer enxergar por debaixo das profundezas, aquele que sabe dos instintos, que quer mostrar o lado "podre" e "sujo" do ser humano só pra regenerá-lo.

Safadinho, não?
Vamos agora sair das profundezas do Reino Subterrâneo, onde Hades e sua esposa Perséfone desfrutam de luxúria e selvageria (ui!) e vamos para as profundezas do Oceano. O Deus dos Mares é Poseidon, ou, como conhecido pelos romanos, Netuno. Poseidon era um Deus meio safadinho, assim como seu irmão Zeus. Ele era casado com Anfitrite (outra chifruda, como Hera!) e teve vários filhos, entre eles gigantes e um ciclope. Ele foi o criador do cavalo e fez isso pra ganhar a estima do povo atenense, com quem disputava a posse da cidade com Atena, a Deusa da Sabedoria. Poseidon, Zeus e Hades eram, tipo, os Três Grandes Deuses e vou explicar o porque logo, logo... (Grandes planetas também, com exceção de Plutão, o que não assusta ninguém. Ele nunca foi alguém conhecido por ser muito valorizado). Netuno é o planeta regente de Peixes. Peixes é, arquetipicamente, tanto o artista, quanto o mártir-vítima, figuras que se confundem na confusão das águas de Poseidon.



A história é a seguinte: Zeus, Hades e Posêidon eram filhos de Cronos, o Deus do Tempo. Esse cara é maligno, vou te contar. Tornou-se o senhor do Céu, castrando o próprio pai Urano. Casou-se com sua própria irmã Réia (não se assuste. Na mitologia isso é bem comum HUHAUHA!) e teve seis filhos: Hera (a esposa de Zeus e irmã do mesmo!), Deméter (a tal Deusa da Terra que teve a filha estuprada e raptada), Héstia (uma Deusa Menor, que quase ninguém se lembra tadinha) e os três Grandes: Zeus, Poseidon e Hades. O tal Deus era tão ambicioso e, por medo de ser destronado, engolia os próprios filhos! Pasmem, mas é a verdade. Mas Réia, sua esposa-irmã, foi esperta e conseguiu salvar um deles. Adivinha qual? Acertou quem apostou em Zeus, o Deus dos Deuses. Zeus, que de bobo não tinha nada, resolveu se vingar do Pai dele e com ajuda de Métis, a Deusa da Prudência, ele conseguiu uma poção que fez com que seu "querido e amado" Pai vomitasse todos os seus outros cinco irmãos. Com a ajuda deles eles botaram pra quebrar e destronaram o próprio pai e seus, digamos, capangas: os Titãs e os mandaram pras profundezas do Tártaro. Cada um dos Deuses ficou responsável por cuidar de um determinado lugar. Poseidon virou o Deus dos Mares, Zeus, o Deus dos Deuses e dos Céus e Hades, o Deus do Reino Subterrâneo.   

Cronos é o Deus romano Saturno. Saturno é o nome que o sexto planeta do nosso Sistema Solar recebeu. Capricórnio é o signo regido por esse planeta. Capricórnio é o signo da tradição, dos valores, da hierarquia e sim, da ambição. Algumas vezes essa ambição desmedida e, assim como Cronos, eles literalmente devoram o que quer que seja preciso para conseguirem chegar onde querem. 

Cronos, em uma de suas "jantinhas"

0 comentários:

Postar um comentário